RPER N.º 11

Análise da Evolução dos Saldos Migratórios da População
nas Regiões Portuguesas.


Resumo:

Neste trabalho, pretende-se analisar a migração da população, que é pelo menos em potência factor trabalho, nas NUTs II e NUTs III de Portugal Continental, de1996 a 2002 e em 2004, respectivamente. A opção por estas desagregações espaciais e por estes períodos tem a ver com a disponibilidade de dados. Para isso, estimou-se, com algumas modificações (nomeadamente com a introdução de factores de autocorrelação espacial), a equação dos saldos migratórios construída e estimada por Soukiazis para os países da OCDE, para Portugal e para a Grécia.

Como principais conclusões, de referir que se confirma a desertificação do interior a favor do litoral de Portugal Continental e que a mobilidade do factor trabalho é essencialmente influenciada pelo rendimento real, pelas taxas de desemprego e pelo emprego agrícola. De salientar, ainda, que há autocorrelação espacial entre os saldos migratórios das NUTs III portuguesas, mas não suficientemente forte para ter um efeito explicativo da evolução da mobilidade do trabalho.


Palavras-chave: Saldos Migratórios, Regiões Portuguesas, Autocorrelação Espacial


Voltar