RPER N.º 25 | 26

Os efeitos da aculturação no vaivém da emigração continental:
um estudo de caso em Melgaço.
.

Resumo:

O objecto de estudo é a emigração melgacense desde meados do século XX e as diferenças socioculturais entre os melgacenses com experiências emigratórias e os residentes, as quais resultam num conflito sociocultural entre ambos os grupos. Os melgacenses com percursos emigratórios percepcionam a existência duma separação sociocultural face aos residentes. A diferenciação sociocultural revela-se através da aculturação no uso da língua estrangeira, na construção da casa “afrancesada” e na ostentação económica. No uso da língua estrangeira, os melgacenses com percursos emigratórios sentem-se aculturados, no entanto, não se percepcionam como parte interdependente das tensões sociais. Na problemática da casa “afrancesada”, a aculturação laboral é desvalorizada pelos questionados, sendo, no entanto, valoriza pelos informantes privilegiados e pelas profissões mantidas no espaço de acolhimento e pelos sujeitos com ensino superior. Emigrar, em Melgaço, ainda significa ascender a um estatuto social mais favorável. E, efectivamente, os melgacenses com percursos emigratórios percepcionam-se como tendo ascendido socialmente. Os comportamentos dos residentes são percebidos na base da inveja e não como uma redefinição das posições sociais ou através de condições objectivas de ambos os espaços. No registo do conflito social propiciado pela aculturação, não se percebem como fonte de tensão social. Conquanto, a relativa melhoria das condições de vida, a ascensão económica parece não ter efeitos positivos, uma vez que a melhoria técnico-profissional é escassa, as remessas têm diminuído, o investimento, agora, é feito no espaço de acolhimento e a desertificação humana e física têm aumentado. A relação mantida entre ambos os espaços é assimétrica, sendo que, no entanto, a aculturação não é percebida como fonte de tensão social.

Palavras-chave: Emigração, aculturação, diferenciação sociocultural, conflito social, aculturação assimétrica.


Códigos JEL: J11, J15


Voltar