RPER N.º 36

O Potencial para a Coperação entre Empresas de Turismo e Produção de Vinho na Oferta de Experiências Turísticas: Caso Da Região do Douro, em Portugal

Resumo:

A oferta de experiências turísticas resulta da cooperação não só entre empresas que operam na mesma indústria, mas também entre empresas que operam em indústrias complementares, como é o caso das indústrias de turismo e de produção de vinho. Este artigo analisa a ocorrência, ou não, da cooperação intersectorial e/ou diagonal entre as empresas que operam nas indústrias de produção de vinho e turismo, tendo como objetivo examinar a situação atual da cooperação na região e compreender o potencial da cooperação entre estas empresas para a oferta de experiências turísticas. Os dados apresentados foram recolhidos através de um questionário baseado em entrevistas face-a-face aplicado aos proprietários/gestores das empresas. Os resultados indicam que a cooperação já é implementada por muitas das empresas inquiridas e que, embora as experiências turísticas não tenham sido claramente indicadas pelos inquiridos como uma das principais razões para cooperar, já a oferta de produtos/serviços e atividades complementares e diversificadas é uma das principais razões para as empresas, sobretudo as turísticas, cooperarem com as empresas produtoras de vinho. Os inquiridos reconheceram, por um lado, uma crescente procura de atividades relacionadas com a participação em vindimas e provas de vinho e, por outro, a necessidade de uma oferta adequada por forma a dar resposta às expectativas dos turistas que visitam a região. Os resultados indicam que há um reconhecimento, por parte dos inquiridos, de que esta oferta resulta da cooperação estabelecida entre as empresas. Desta forma, considera-se que existe um grande potencial para a cooperação entre estas empresas na oferta de experiências turísticas nesta região.

Palavras-chave: Turismo Rural, Enoturismo, Cooperação Intersetorial, Experiências Turísticas

Códigos JEL: L83, L21, D22



Voltar